Professores de Toledo realizam capacitação em robótica educacional no Centro de Robótica da Fundetec

Por Natalia Paiva

 

Usar a robótica no meio educacional pode para muitos parecer loucura ou mesmo algo distante, contudo, desde os anos 80 que a robótica educacional vem sendo desenvolvida. O seu prospector foi o matemático norte-americano Seymour Papert que ainda nos anos 60 sugeriu o uso de robôs na educação, concretizando sua ideia 20 anos depois, com a criação da tartaruga de solo, robô programado pela linguagem Logo, que tornava a criação mais acessível as crianças.

 Depois do ponta a pé inicial, universidades começaram a implementar a robótica educacional na grade de seus cursos, não demorando muito para que escolas também começassem a usar o método.

Robótica Educaciional em Toledo 

No Brasil são diversas as escolas que ensinam a robótica educacional aos seus alunos. O método que recentemente foi implementado na cidade de Toledo no interior do Paraná, conta com o apoio da Fundetec (Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Cascavel), como comenta Jocemar do Nascimento, “A Fundetec possui um termo de cooperação com a Secretaria de Educação de Toledo para implementar aulas de robótica no ensino fundamental”.

Na última quarta-feira (23) professores da rede municipal de ensino de Toledo se reuniram no mais novo espaço de robótica da Fundetec para terem aulas e orientação para posteriormente repassarem aos alunos. Desde 2017 o Projeto Criar/Educar é aplicado nas Escolas Municipais Anita Garibaldi e Washington Luiz.

Segundo Alexssandro Morgenroth, coordenador pedagógico, o objetivo da Secretaria de Educação é a expansão do Projeto para as demais escolas do Município “Para este ano pretendemos incluir a robótica educacional em mais quatro escolas do Município de Toledo”. Ele ainda complementa, “Vivemos em uma era de alunos digitais e professores analógicos”.

A aplicação da robótica tem resultados positivos na vida dos alunos como uma maior dedicação nos estudos, diminuição na evasão escolar, além do incentivo a criatividade. Para a coordenadora pedagógica Marisa Giacobbo, “as crianças ser tornam mais lúdicas, aprimoram expressões e melhoram seu raciocínio” a Pedagoga acredita que os alunos irão se interessar muito pelas aulas de robótica “se nós que somos adultos já ficamos interessados e concentrados, imagina as crianças, vão amar”.

Projeto Criar

Iniciado em 2012, o Projeto CriaR tem por objetivo a capacitação de instrutores de informática nas escolas municipais para o uso de Ensino de Programação que posteriormente será passado aos alunos das escolas municipais.